Treino Correia Dentada

O danado do treino é chato, mas necessário.

Mais chato que PowerPoint longo. Mais inacabável que fila de banco no dia 5. Mais repetitivo que discurso de político em período eleitoral. O treino em subidas é aquele fígado que a gente come quando criança porque a mãe empurra goela abaixo. Ruim, mas faz bem.

Sobe arfando e trabalhando a panturrilha, o quadríceps e os braços. Desce tentando não sobrecarregar os joelhos. É sofrido, o danado. A gente sai de casa programada para 20 subidas. Na 5ª já acha que 18 tá bom. Na 15ª já não sabe ao certo quantas vezes subiu.

Até que um carro passa devagar do teu lado pra ver se tu vais subir mesmo. Aí aquele motor V8 que tu tinhas e não sabia funciona na hora. Tu vais no gás pra se livrar do cheiro do monóxido de carbono que o carro do abobado joga em ti. O mala ainda acha que tu estás competindo!

Tirando toda a parte chata, esses treinos são ótimos para o fortalecimento da musculatura das pernas e quadris. Então, bora subir.

Correia dentada?

Chamo de correia dentada por causa do desenho que o gráfico assume, cheio de “dentes”. Também porque a correia dentada de um carro é responsável pelo sincronismo no funcionamento entre várias peças do motor. No caso do corredor, braços, pernas e respiração precisam estar bem sincronizados para que o movimento seja eficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *